terça-feira, fevereiro 08, 2011

genealogia (4)

o medo e a transgressão
o disfarce e a submissão
correm no meu sangue
confinado à beira baixa

no retrato duma trisavó
na terra
no nome da família
inscreve-se ao baixo o rasto milenar da judeia na cara do meu
                                                                                   [sangue

passei a exigir-me judeu
vestígio da nobreza do meu sangue
berbere celta negróide

e há segredos de roda
tradição familiar fantasiosa de aristocracia presuntiva
sem um pingo da nobreza do meu sangue

a verdade é que no meu sangue há criadas de servir
criadas em locais remotos duma baixa beira
terra de contrabando e crime
terra de ninguém

3 comentários:

rose prado disse...

Leio tudo e nem se que dizer. Eu gosto muito.
podia juntar todas os textos , num só, a um, dois,,,e esta.
Fica mais fácil p o leitor perceber a unidade.
mas tb o leitor busca..uai.

Que sangue arteiro, cheio de gingas.

rose prado disse...

Você é todo muito chique.

RAA disse...

E você é uma querida, Rose.