terça-feira, maio 03, 2016

50 discos: 40. DISCIPLINE (1981) - #2 «Frame By Frame»


do Aborto Ortográfico (mais uma)

Todos os dias a tropeçar nesta porcaria. E, cada vez mais, com erros ortográficos, mesmo segundo os critérios do Aborto. As pessoas estão de tal modo confusas que já não sabem escrever.
A última: documentário sobre Shakespeare, sábado à noite na RTP2. A certa altura aparece na legenda a palavra 'inteletual'. Inteletual, desde quando, porra? E até quando teremos de aturar mais esta cavaquice, sustentada por meia dúzia de académicos que não querem perder a face?
A arrogância satisfeita dos bonzos aliada à ignorância parola, mas cheia de potência, de decisores políticos, com uns pós dos idiotas úteis que acham que romper com o que está é que é progressista... Inteletual, caralho!, li eu e não foi num programa da Teresa Guilherme
(cujo nome, revelou-me a caixa de etiquetas, tem pela primeira vez lugar neste blogue que já não é novo -- e, ainda por cima, ao lado do velho Will. Isto anda cada vez mais inteletual).

50 discos. 44 THE DREAMING (1982) - #2 «There Goes A Tenner»


segunda-feira, maio 02, 2016

Mário de Miranda e Miss Fonseca!

fonte
fomte

fonte

Mário João Carlos do Rosário Brito Miranda (Damão, 1926 - Goa, 2011), reputadíssimo cartoonista indiano, Obrigado, ó Google, que nós por cá não sabíamos de nada. Nos anos oitenta, o único jornal em língua portuguesa que se publicava em Goa, O Heraldo, fechou porque não pôde contar com o governo português de então. Descobrimentos para aqui, navegações para acolá, mas a Índia continua longe, porra.
P.S. - e que tal uma antologia da Miss Fonseca?  



fonte
Sei hoje que ninguém antes de ti / morreu profundamente para mim
Ruy Belo

sábado, abril 30, 2016

estampa CCVII - Lavinia Fontana


Auto-Retrato ao Clavicórdio com Criada (1577)
Academia Nacional de S. Lucas, Roma

não só a música



Sara Bras, El Albaicín (Albéniz)

sexta-feira, abril 29, 2016

microleituras

Esplêndida bd de Rui Lacas, destreza narrativa, filactera a filactera, argumento simples, eficaz, ternurento e surpreendente. Um boneco com potencialidade de herói: o Padre Fortunato. Não há mais estórias com ele?

Rui Lacas, A Ermida (2011)
(também aqui)

50 discos: 18. ATÉ AO PESCOÇO (1972) - #2 «Quem nos viu e e quem nos vê»


quinta-feira, abril 28, 2016

uma carta de Eça de Queirós

Um perfeito exemplo do humour queirosiano, a propósito do crónico desarranjo intestinal, vírus provavelmente contraído em Cuba ou no Egipto e que tanto o moerá até à morte. sendo eventualmente a causa dela. (Creio que a doença que vitimou Eça ainda não terá sido desvendada.)
Outro aspecto interessante é a menção ao livro do historiador alemão Ludwig Heinrich Friedländer, Quadros dos Costumes Romanos desde Augusto até à Época dos Antoninos (3 vols., 1862-1871), que certamente terá servido como bibliografia para A Relíquia.