segunda-feira, fevereiro 07, 2011

Mas eu... posso eu acaso merecer-te?
Antero de Quental

6 comentários:

Paulo Cunha Porto disse...

Perigoso, vindo de Quem veio: Oliveira Martins desarmou-o duas vezes na iminência do tiro fatal que, ai irónica sequência, viria sem já o Motivo!

Abraço

RAA disse...

É a personagem mais comovente daquela geração.
Outro

Mónica disse...

q auto-estima tão tão fraquinha :P soa a complexo de inferioridade. ou será o inverso: sou tão bom q n mereço coisa fraca...


n importa a frase é mto a puxar ao caracter manipulador, n gosto

RAA disse...

É um fragmento de alguém que esteve muito acima da parvalheira da comédia humana. tão acima que não aguentou. O Eça chamava-lhe "Santo Antero".

Mónica disse...

esqueça o antero e pense só na frase, q diria se a ouvisse de alguém q lhe fosse chegado? alguém "manipulador"

RAA disse...

...pois, talvez...