segunda-feira, abril 11, 2016

Costa e Tsipras

Se o encontro de hoje terá alguma consequência, ninguém sabe, porque a situação política europeia (e internacional) está de tal modo volátil que só um tonto se arriscará a fazer vaticínios para além de umas escassas semanas.
O que sei é da satisfação que me deu ver um governante português comportar-se como chefe de um governo de um dos estados mais antigos da Europa,  e não como um poodle do ministro das finanças alemão ou do presidente do Eurogrupo.

6 comentários:

Paula Lima disse...

Já era tempo!

Ricardo António Alves disse...

Sem dúvida!

Jaime Santos disse...

Com Costa, (quase que) acreditamos que ainda somos um País soberano, onde quem manda é o povo português. Por oposição aos dois estarolas de bandeirinha na lapela que aplicaram austeridade além da troika e privatizaram além da troika, vendendo bens públicos a, entre outras, empresas controladas pelo capitalismo estatal chinês (supostamente marxista, façam-me cócegas para eu me rir) ou pelo capitalismo estatal angolano (supostamente social-democrata, já que é o MPLA é membro da IS, como era o Partido de Mubarak, e como são o Partido Social-Democrata Dinamarquês que vota a favor da confiscação de bens a emigrantes e o Partido Socialista Francês que queria tornar apátridas os condenados por terrorismo, façam-me mesmo muitas cócegas, que enquanto rio não choro)...

Jaime Santos disse...

P.S. A citação do Pessoa sobre a superioridade é dirigida algum político que se tenha recentemente demitido em particular ;-) ?

Ricardo António Alves disse...

Na verdade, não sabemos se rir ou chorar... Mas ainda assim, apetece-me ser cândido, e valorizar o encontro.

Não, não. É do arquivo do blogue, mas a aplicação está sempre pronta-a-vestir :!

Jaime Santos disse...

Sim, sim, a mim também me apetece valorizar o encontro. Só não esqueço os amigos 'social-democratas' que Costa tem por essa Europa e restante Mundo fora... Com amigos destes...