terça-feira, dezembro 16, 2014

o silenciamento de José Sócrates

A recusa de autorização da entrevista pedida a José Sócrates pelo Expresso, por parte da D-G dos Serviços Prisionais, na sequência do parecer do juiz de instrução e do magistrado do MP, é gravíssima. Uma medida destas só seria aceitável tratando-se de um operacional terrorista ou um chefe de gangue mafioso. É gravíssima, porque em Portugal há liberdade de expressão, e é preciso ser-se muito estúpido para considerar que a supressão dessa liberdade pode ter a justificação, canhestramente burocrática, de eventual perturbação do processo.
Mas a proibição, que deverá ser ilegal à luz da Constituição da República, é ainda triplamente estúpida:
Primeiro, porque fortalece a posição de Sócrates. Que receiam os agentes da Justiça? Certamente terão provas fortes dos indícios de corrupção, já que se atreveram, antes de julgamento, mandar um ex-PM para a cadeia. Logo, qual é o receio?
Em segundo lugar, achar que podem calar Sócrates quando ele quiser falar, é pueril. 
Finalmente, porque lança a suspeição de que, como de costume, andam a apanhar bonés, o que os desprestigia ainda mais, e torna tudo ainda muito mais grave, até porque dá contornos políticos ao caso, justamente como disse Sócrates na primeira declaração escrita da cadeia.

Há duas coisas de que não me esqueço: a decapitação da então liderança do PS no caso Casa Pia, uma conspiração muito bem montada, em que magistrados & c.ª foram os idiotas úteis de serviço; e o alarme pateta e patético do atentado ao estado de direito, salvo erro aduzido por um procurador que é irmão da actual PGR, processo no qual a Justiça ficou na lama, com os episódios das escutas.
Ora bem, eu não voto em juízes nem em procuradores e não estou para aturar-lhes os palpites e os estados de alma. Mas votei uma vez em José Sócrates, e quero o meu voto respeitado. Por Sócrates e pelo pessoal da Justiça. Fizeram escutas, investigaram. Têm provas? Julguem e condenem, se for caso disso; mas não cedam à tentação de exorbitar.

3 comentários:

manuelpereirabarros Meira disse...

Diz que os homens andam a apanhar bonés:claro que andam,pois descabelados ou carecas, andam há que tempo, à caça dos gambozinos que lhes enxameiam os sonhos.A farsa vai no adro,mas o primeiro acto promete.O final será de arromba,tal vez estes também não sirvam para o Xanana!

Ricardo António Alves disse...

Sem dúvida que promete, e até entretém. Ainda se eles não estivessem de braço dado com o tabloidismo mais reles...

Cosme de Torres disse...

http://transparente.blogs.sapo.pt/o-caso-de-jose-pinto-de-sousa-jose-32806