terça-feira, março 29, 2011

facebook

Para que conste, estou no Facebook. Não porque tivesse muita vontade, mas por razões de índole profissional. Não percebo nada daquilo, a bem dizer, senão que é um fórum de tagarelice. Mas há coisas giras: reencontros com familiares e amigos de outros tempos, ou insurgências no mundo árabe.  Enfim, sendo um blogger, faço daquilo uma extensão deste e doutros blogues que vou mantendo. E exercito-me na legendagem de algumas imagens ou músicas que aqui postei. Não me parece que dê para muito mais. Mas que sei eu?...

6 comentários:

Paulo Cunha Porto disse...

Pois é desses reencontros que fujo como o Chifrudo da Cruz...
E como escrevia no outro dia a nossa Colega George Sand, os blogues debatem, o facebook adiciona. Eu sempre fui mais para as letras do que para a Aritmética...
Abraço

Austeriana disse...

Ora ainda bem que não sou só eu a não perceber nada daquilo... (Welcome to the club!) E também lá fui parar, porque amigos e familiares não paravam de me encher o bicho do ouvido.
Mas concordo consigo: descobri lá amigos e família de quem não sabia desde a infância!
Vou procurá-lo, RAA! :)

Abraço.

RAA disse...

IC, meu caro, o que faz o desvelo profissional! A verdade é que é muito agradável ver pessoas de que gostamos e foram (são) importantes na nossa vida. Vou enchê-los de abencerragem... Ab.

Aust., lá nos encontraremos, sem novidades, da minha parte.:)

relogio.de.corda disse...

Austeriana, acho que estamos todos para o mesmo. Neste caso do facebook, eu também fui uma espécie de "Maria vai com todos". :)

Ana Paula Sena disse...

Subscrevo o que dizem aqui do FB, Ricardo. Eu também lá estou. É um ambiente mais superficial, mas tem alguns aspectos positivos, que terá oportunidade de ver por si mesmo, creio.

Claro que o vou procurar!

Um abraço.

RAA disse...

Então lá nos encontraremos.
Outro.