quinta-feira, janeiro 13, 2011

caderninho -- e é a última palavra d'Os Lusíadas

Dizem que os portugueses são invejosos. Eu acho que são, por pobreza de espírito e de recursos. O Senhor de La Rochefoucauld escreveu: «Muitas vezes fazemos alarde das nossas paixões, mesmo as mais criminosas; no entanto, a inveja é uma paixão tímida e envergonhada que não se ousa nunca confessar.»* É verdade, a inveja inferioriza-nos; mas também a não confessamos, pois não vá algum azar acontecer ao invejado e ficarmos nós no topo da lista dos suspeitos.

* Máximas, tradução de Cristina Proença, Lisboa, Editorial Estampa, 1990, p. 31.

14 comentários:

rose prado disse...

eu acho que a inveja é o sentimento negativo por excelência, o maior sentimento, o que toma conta do ser. Não creio que haja inveja boa. É sempre má. O que se pode fazer é não agir motivado pela inveja.Deu a inveja? Olha, não se culpa e não faça mal ao ser que é alvo da inveja.
Se os portugueses são mais invejosos? Talvez ...e se for , é a ressaca do tempo dos Descobrimentos,a morte de D Sebastião...
rs

Paulo Ferrero disse...

He, he, he. É impressão minha ou o Abencerragem mudou de visual? Pronto, descobriste: não vinha aqui há muito tempo... tenho andado afastado dos meus blogues preferidos. Mas voltei. Abraço.

d.e. disse...

Tem razão o Senhor! Veja-se o livro do brasileiro Zuenir Ventura: "Mal Secreto-Inveja". Olhe, era boa leitura para levar ao clube.
Quanto a ser a última palavra d' "Os Lusíadas", deixe lá. O pior é a exortação à Cruzada de África.

RAA disse...

Rose: provavelmente a inveja resulta das malhas tecidas pelo império, assim como dizem que o austríacos (10 milhões, como nós) são sinistros por nostalgia imperial. A diferença é que eles são ricos há muitas gerações, e nós, de pobres passámos a remediados, no contexto europeu, é claro.

Paulo: não, meu caro, o template é o mesmo desde o início. De vez em quando há uma variações no estendal da direita, só isso.
Outro abraço.

Manuel: Sugira, meu caro, sugira. É um autor que nunca li e me suscita curiosidade. Quanto ao Camões, prefiro sempre o lírico ao épico.
Ab.

rose prado disse...

Esse texto do zuenir é muito bem escrito...bom mesmo. Mas é pela escrita pois nada me trouxe de novidade. sobre a inveja claro. talvez um compêndio de psicologia me agradasse mais.

Compre o livro, mas num sebo. Vale , mas não muita grana ...pra mim, claro.

RAA disse...

Obrigado pelo conselho, Rose :|

Mónica disse...

"Eu acho que são, por pobreza de espírito e de recursos." eu tb

o resto n percebo o proposito, deve-se confessar a inveja tal como se confessam crimes? pra quê? já n bastam tantas leviandades q se confessam (mais um assunto para revistas e programas de tv??) e mais agora aturar as confissões de inveja!!! ó RAA poupe-me!

tenho inveja de quem não faz nada na vida e ainda assim se sustenta hmmm serve de alguma coisa esta confissão?? tenho mais invejas...é só pedir mas n vejo pra quê :PpPpP

RAA disse...

Não me apetece nada poupá-la, Mónica.
Avante :|

Mónica disse...

camarada eheheh só dps de explicar para que é q serve

RAA disse...

o melhor de tudo é o que não serve para nada, Mónica

Mónica disse...

então o senhor de la rochefoulcauld queria o quê com a confissão dos invejosos? volto à estaca zero: não percebo nada

se n serve para nada é melhor ficar calada e com a vergonha, vê?dois castigos por ser invejosa :DDDDD

RAA disse...

Então e a alegria da dádiva?...

Mónica disse...

n pode ser, isso seria uma recompensa para a invejosa, e quem inveja só merece castigo, plim e o senhor de la n sei quantas é tonto e eu acho q ao RAA n lhe fica bem citá-lo, com todo o respeito e liberdade de expressão

RAA disse...

Quanta inveja, Mónica! Terá de ir ao castigo :|