sexta-feira, julho 14, 2017

Liu Xiaobo

É da natureza das ditaduras totalitárias não haver complacência para com a dissidência. Liu Xiabo, pelo pouco que dele sei -- e poderia, e deveria saber mais, pois há pelo menos um livro seu publicado entre nós: Não Tenho Inimigos, não Conheço o Ódio --, foi um preso de consciência na verdadeira acepção do termo: um pensador livre e pacifista. Uma voz ética e moral, a mais perigosa das subversões, portanto.

2 comentários:

sincera-mente disse...

Um verdadeiro mártir!
Os que o silenciaram à força e o escoltaram sem pingo de vergonha até ao último suspiro andam por aí a distribuir sorrisos cândidos e a ser abraçados por muitos (auto-intitulados) cavaleiros andantes dos direitos humanos...
O meu profundo vómito por toda esta hipocrisia!!!

Ricardo António Alves disse...

Esperemos, tal como a sua viúva, que o sacrifício não tenha sido em vão.