sexta-feira, abril 20, 2018

«Todo o Verão tem a sua sombra / a sua pequena morte / homens lentos nas adegas / (poços de frescura / imaginam ofícios sublimes, / presságios / pequenas conjuras» Fernando Jorge Fabião, Na Orla da Tinta (2001)

«Viesses tu, Poesia, / e o mais estava certo.» Sebastião da Gama, «Viesses tu, Poesia», Pelo Sonho É que Vamos (1953, póst.)

«Só no silêncio a vida se descobre.» Alexandre Dáskalos, Poesia (1961, póst.)

2 comentários:

Gil António disse...

Gostei muito do seu blogue e das suas publicações. Voltarei
.
* Criança brincando ... em interno lamento. *
.
Cumprimentos poéticos.

Ricardo António Alves disse...

Obrigado, volte sempre!