quarta-feira, janeiro 25, 2017

uma boa oportunidade para PCP e Bloco avançarem com a saída de Portugal da Nato

As luminárias que definem a estratégia do PSD, traduzida em vulgar por aquela inenarrável bancada, vão votar ao seu lado, para comprometer a Geringonça. 
Não?...

4 comentários:

Paula Lima disse...

Os extremos tocam-se? Vão-se tocar? Ou têm-se tocado nos bastidores e nós distraídos?

Ricardo António Alves disse...

A haver extremos, é só de um lado. O resto é puro oportunismo, e do mais desavergonhado.

Jaime Santos disse...

Clara Ferreira Alves notou que quando o populismo chegar a Portugal, será pela mão do PSD (que também se chama PPD, note-se). Esta atitude é justamente uma indicação que isso já está a acontecer. Parece-me que o cata-vento que PPC teve que engolir em Janeiro do ano passado lhe colonizou o cérebro e não me espantaria se o víssemos um dia destes empoleirado no telhado da São Caetano à Lapa. Zzzz...

Ricardo António Alves disse...

O CDS já o tentou, com Manuel Monteiro, mas também com Portas. O PSD é o candidato mais óbvio, mas talvez a sua condição de partido alternante o obrigue a refrear as tentações.