segunda-feira, fevereiro 16, 2015

Somos todos Judeus!

E, na realidade, até somos muitos de origem judaica / cristã-nova. Portugal é, felizmente, o país mais miscigenado da Europa Ocidental: celtas, latinos, hebreus, germânicos e berberes -- só para mencionar os mais notórios ao longo dos dois milénios em que se escreveu a história deste território do extremo-ocidente europeu.
Portugal não foi o primeiro dos países na lista dos crimes contra a gente de nação. Esse triste galardão cabe à Inglaterra desse bandido chamado Ricardo Coração-de-Leão. Mas contribuímos larga e decisivamente para o opróbrio, com a expulsão no final do século XV, com as consequências nefastas que se sabem (esta terra foi sempre muito mal governada...)
Com este cadastro, de que tardámos a redimir-nos (à vergonha que foi a acção de Salazar para com os judeus portugueses na Holanda ou na Grécia, temos a nosso favor não apenas Aristides de Sousa Mendes, mas também Sampaio Garrido e Teixeira Branquinho); com este cadastro temos o dever enquanto país de  estar na primeira linha da comunidade internacional contra a vaga de atentados perpetrados pelos islamo-fascistas.
Nós e o resto da Europa, até para não deixarmos pasto para o criminoso Netanyahu, que, desde os ataques ao Charlie Hebdo, tem estado a manipular a tragédia para a sua estratégia suicida em Israel.
Eu sei que isto é esperar demasiado de um Governo sem política externa; mas um país não se faz só daqueles que transitoriamente o dirigem. 

2 comentários:

Til disse...

E também somos todos humanos?

Ricardo António Alves disse...

Por vezes, demasiado.