terça-feira, setembro 28, 2021

segunda-feira, setembro 27, 2021

«Leitor de BD»

Stuart -- A Rua de o Riso. de João Paulo Cotrim
 

domingo, setembro 26, 2021

o meu voto, para registo


Decidido quase à boca das urnas, o meu voto irá  para a coligação Nós Cidadãos! - PPM,
encabeçada por João Sande e Castro, antigo vereador do CDS. E que bem me vai saber!

 

sexta-feira, setembro 24, 2021

quinta-feira, setembro 23, 2021

18 palavras para Camões

Amor. Campo. Cegueira. Génio. Guerra. Épica. Espada. Escola. Inveja. Manuscrito. Mar. Miséria. Mulheres. Portugal. Redondilha. Rufia. Soneto. Tença.

quarta-feira, setembro 22, 2021

«Leitor de BD»



Stuart - A Rua e o Riso, de João Paulo Cotrim

 aqui

«Ter nuns olhos tão fermosos / os sentidos enlevados, / bem sei que em baixos estados / são cuidados perigosos; / Mas porém, ah! que cuidados!» 

Luís de Camões, da glosa «Tanto maiores tormentos»

terça-feira, setembro 21, 2021

tempos interessantes

  Eu sei que os Estados Unidos foram necessários à nossa segurança colectiva, nomeadamente para travar o expansionismo soviético. E ainda bem, pois é sempre preferível o capitalismo, por mais selvagem. O americano, em particular, é brutal e predatório; há, porém e felizmente, em parte da sociedade civil americana, um dinamismo e com massa crítica, capaz de fazer frente aos poderes fáctícos, o maior poder.

O sovietismo também brutal, que se apoderou do estado, policial, totalitário e desavergonhado, desapareceu há muito, e hoje é a Rússia a ameaçada pela rapinagem americana, a que se opõem como querem e podem, desde logo pela manutenção de Putin no poder. Não sendo russo, quero que Putin fique por lá até 2036 -- e talvez se fosse russo o quisera na mesma. Nunca me cansarei de dizer que, até agora, nunca os russos foram tão livres e tão prósperos. E com Putin temos a certeza de que estes patifes não fazem farinha. A mais do que legítima recuperação da Crimeia, foi apenas uma demonstração aos bullies (um atavismo inglês que os americanos tornaram tara hereditária) que o respeitinho é muito bonito. (O aviso ao navio de guerra inglês armado em saliente a aproximar-se das águas territoriais russas na costa da Crimeia -- "Pela vossa saúde, invertam a rota..." -- foi hilariante.

E por falar em patifarias dos nossos queridos aliados americanos, elas têm sido incontáveis. Depois de deixarem todos os aliados de calças nas mãos no Afeganistão, para vergonha destes -- pelo menos os que a têm, como a ministra holandesa que se demitiu --, foi agora a partida pregada à França, com a anulação do contrato de aquisição de submarinos pela Austrália.

(Eu até acho bem, em teoria, um pacto militar daquela natureza; as potências nunca podem andar à solta, mesmo uma hipercivilizada como a China -- lembremos o Tibete, cuja ocupação tem sempre por cá quem a justifique (a melhor que ouvi, foi a de o Tibete ser um país libertado do seu regime feudal pelo exército popular da China -- nunca se chega longe demais no cinismo ou na estupidez e na desonestidade intelectual);

 se o problema do governo de Macron estivesse no domínio dos princípios, a França estaria caladinha, que é a isso a que os vassalos se obrigam; mas o desplante foi o desvio de milhares de milhões de euros que os americanos induziram os australianos a fazer, em benefício próprio, claro está, fazendo a França estrebuchar com sonoridade. O espectáculo está em cena, e até agora tenho-me rido.

Ah, o Biden, ia-me esquecendo: pode estar a ser muito bom na política interna, eventualmente. Na política externa, um desastre bastante pior que Trump, como era expectável, mantendo tudo quanto este fez de mau. A hostilização idiota do Irão, que entretanto passou-se para os radicais nas últimas eleições, com a ajuda dos amigos americanos; a manutenção de barreiras na fronteira com o México. parece que estão a deportar muita gente. Enfim, tempos interessantes, como diria o outro.


domingo, setembro 19, 2021

sexta-feira, setembro 17, 2021

quinta-feira, setembro 16, 2021

liberdade de imprensa

 Sem uma imprensa livre, não há uma sociedade liberal e democrática. É verdade que democracia e liberdade são aferidas por muitas outras variáveis: literacia e autonomia dos cidadãos em face do Estado e dos poderes fácticos de todos os lóbis, corporações, religiões, tudo quanto condicione ou subalternize os indivíduos e os cidadãos. Mas a base de tudo está numa imprensa livre.

Numa lista dos Repórteres se Fronteiras sobre a liberdade de imprensa no mundo, contendo 180 países, em que a liberdade mais livre se situa na Noruega e a mais oprimida na Eritreia, Portugal está em nono lugar, atrás da Nova Zelândia e à frente da Suíça. Quanto aos restantes países lusófonos, Cabo Verde surge em 27.º, atrás de Chipre e à frente da Lituânia. Seguem-se Timor-Leste, 71.º, entre a Grécia e as Maldivas; Guiné-Bissau (95.º), entre a Mauritânia e o Equador; Angola (103.º) no meio do Quénia e do Montenegro; Moçambique (108.º), depois do Líbano e antes duma Guiné. Finalmente, o Brasil, em 111.º, precedendo a Bulgária (país da UE...) e atrás da Bolívia. São Tomé e Príncipe não aparece. É uma lista estranha, apesar de tudo, mas está aqui.

«Boys»

quarta-feira, setembro 15, 2021

emporcalhamento

 Concordo com o Presidente Marcelo quando diz que não devemos dar grande trela aos animais que foram coagir Ferro Rodrigues quando almoçava com a mulher. É possível que espectáculos destes sejam o pão-nosso-de-cada-dia na cmtv ou nas outras que as copiam. Mas eu nunca vira nada assim: tontinhos, feios, porcos, maus, com linguagem rufia ("estás marcado...", "este restaurante está marcado...") a arrotar insultos a alguém que, ainda por cima, preside ao Parlamento -- ou seja, à assembleia dos representantes do Povo --, pilar de um sistema que, por muitos defeitos que tenha -- e tem tantos --,  não se arranjou outro melhor, até agora, que o substitua? Que querem estes idiotas? Haviam de estar no tempo do Salazar, ou em sistema soviético que nem piavam. 

E este emporcalhamento aconteceu porquê? Por causa das vacinas? Do maluquinho que é juiz e está prestes a ir borda fora, por indecente e má figura, e as porcarias que ele foi buscar ao Processo Casa Pia? Não sabe este idiota que a propósito do escândalo da pedofilia uma certa direita montou uma conspiração para decapitar a liderança mais à esquerda do PS, no que foi amplamente bem sucedida, aliás com a colaboração activa do Expresso, então dirigido por outro cretino encartado? 

A evolução permitiu a estes toscos passar de ratos em ditadura a carneiros em democracia. Eu também prefiro assim, se bem que a ditadura tivesse a grande ventura de os ratos se verem com menos frequência, era mais higiénico. Assim, ao ar livre e de cabeça descoberta, o ambiente fica pestilento, como é próprio dos ratos. 

"Leitor de BD"


 

Judea, por Dinis Conefrey

(aqui)

terça-feira, setembro 14, 2021

portugueses


GUILHERME Manuel Lopes Scarpa INÊS
(Lisboa, Abril de 1951 -- 14-XI-2021)

 

segunda-feira, setembro 13, 2021

«Doralice»

a arte de começar

 «--Compreende?»

J. Rentes de Carvalho (1930), A Amante Holandesa (2003)

sexta-feira, setembro 10, 2021

portugueses


JORGE Fernando Branco de SAMPAIO

Falei com ele uma vez. Era o Presidente da República. Afabilíssimo. O resto, da Greve Académica de 1962 aos estudantes sírios, é História; sendo uma das páginas mais brilhantes a defesa dos presos políticos na miserável farsa judiciária que eram os "Tribunais Plenários".

(No outro dia, vi um documentário sobre o Assalto ao Quartel de Beja (1961). Em julgamento, o coronel Varela Gomes, que fora baleado e estivera entre a vida e a morte -- o que o livrou da tortura da pide, pois. expulso do Exército fora relaxado àqueles animais -- ouviu num desses tribunais um magistrado dizer que o 'réu' merecia a pena de morte. Varela Gomes veio a sabê-lo, depois do 25 de Abril, juiz do Supremo. Ainda conseguem ser mais repugnantes que os próprios pides. Nenhum foi preso, execrado, incomodado. "Como és belo, meu Portugal". (Luís Cília))

 

quadrinhos


 

terça-feira, setembro 07, 2021

«Leitor de BD»


 Monsieur Vadim 1 – Arthrose, Crime & Crustacés

de Gihef, Didier Mertens e Morgann Tanco

(aqui)

«one too many mornings»

domingo, setembro 05, 2021

arquivo


Eu, em 2019 (tirada pelo meu filho António)

 

sexta-feira, setembro 03, 2021

quarta-feira, setembro 01, 2021

caracteres móveis

«Exaltada, invocou Feliciana o testemunho dos pastores e a fé nas Santas Escrituras; e azeda, puxando a cachopa pelo braço, de chanquinha chocalheira pelo sobrado fora, despediu.»*

«Nas fiadas da biblioteca, que ocupava inteiramente uma parede lateral, enfileiravam-se séculos de história da arte, e, em centenas de volumes e milhares de fólios, desfilava a arquitectura religiosa de todas as eras, as ruínas mortas, os templos gastos, as catedrais decrépitas, tudo comentado, inventariado e fixado nos couchés setinosos e nos encorpados velinos caros.»**

«O lume do cigarro chegava já aos lábios de Manuel da Bouça e ele continuava a contemplar as margens do rio, onde se expunham os campos cobiçados e onde a sua casa fumegava, indolentemente, na quietação da tarde.»***


*Aquilino Ribeiro, Andam Faunos pelos Bosques (1926)

**Manuel Ribeiro, A Catedral (1920)

***Ferreira de Castro, Emigrantes (1928)

«Leitor de BD»

 


Brick Bradford (Willaim Ritt e Clarence Gray)

aqui